Segurança compartilhada com quem você confia!

Todo mundo está abusando do uso dos smartphones. Redes sociais, saber que horas são, mandar uma mensagem para alguém ou simplesmente desbloquear a tela e bloqueá-la em seguida. Você provavelmente faz essas coisas muitas vezes durante o dia. Nessa quarentena então… Mais ainda.

E, é só observar um pouquinho ao redor para ver que não está sozinho. Dentro de casa, no ônibus, no horário de almoço no trabalho, no supermercado. Todo mundo está o tempo todo dando uma conferida no aparelho. Inclusive, é provável que você esteja lendo esse artigo pelo seu celular.

Um estudo da Fundação Getúlio Vargas, FGV, mostra cerca de 70% dos acessos a internet do país são feitos pelo smartphone. Além disso, os brasileiros passam cerca de 5 horas por dia no celular e olham a tela do aparelho mais de 50 vezes ao dia. Um número impressionante.

Já uma outra pesquisa mostra números assustadores. 22% dos entrevistados afirmam se distrair com frequência no horário de trabalho por conta do uso excessivo do smartphone e 38% assumem usar o celular enquanto dirigem. Esses dados mostram que o uso do celular pode estar atrapalhando, e até pondo em perigo, a sua vida.

E por isso, o número de problemas de saúde gerados pelo abuso do celular vem aumentando. É preciso ter consciência. Apesar da facilidade que os smartphones trazem para a vida, o exagero do mesmo é prejudicial. Problemas como dor nas costas, no pescoço e nos dedos, dores de cabeça, insônia, ansiedade, depressão e problema de visão são alguns dos danos à saúde já comprovados.

E por esse motivo, é bom reforçar que especialistas recomendam, para os papais e mamães, evitar ao máximo darem smartphones para crianças brincarem e se entreterem.

Então, se você acha que está abusando do uso do celular nesse momento de isolamento social e deseja diminuir esse vício, continue lendo esse artigo.

Leia também: Aplicativos gratuitos que vão te ajudar nessa quarentena

3 técnicas para te ajudar a usar menos o celular

Tire o celular do seu alcance

Se você pretende usar menos o seu smartphone, tire ele do seu alcance. Chegou no trabalho, não tire ele da bolsa. No carro, deixe na bolsa ou no porta luvas. Nada de deixar perto de você, muito menos com a tela virada para cima. Faça isso com tudo. Vai ver televisão? Não leve aparelho para o sofá. Vai fazer comida, leve o celular apenas se precisar conferir uma receita. E foco! Só olhe a receita, nada de desviar a atenção para as redes sociais.

Outra situação que os smartphones tem atrapalhando muito a vida é na hora de dormir. Provavelmente ele é seu despertador e por isso você leva ele para o quarto com você. E ele dorme do seu lado e você mexe nele até o último segundo antes de fechar os olhos. Então, para evitar problemas com o sono, e até com o relacionamento, procure não entrar com o celular no quarto quando for dormir. Compre um despertador ou use um celular velho para funcionar apenas como alarme. Assim, o celular não será a última coisa que você vê antes de dormir. E nem a primeira ao acordar.

Muitas pessoas estão trabalhando em casa durante essa quarentena. Caso você esteja de home office, deve está pensando que não tem como se afastar 100% do celular, não é mesmo? Sim, nessa situação não é possível deixá-lo em outro cômodo. Então, se precisar usá-lo para contato com as pessoas do trabalho tente fazer essas duas coisas. Se o contato for pelo WhatsApp, tente usar a versão do computador, para não pegar no aparelho o tempo todo.

Mas, só faça isso se for necessário para o trabalho. Se policie para não ficar olhando grupos e conversas não relacionadas ao trabalho durante o horário do expediente. E caso receba muitas ligações, uma boa dica é bloquear todas as notificações de aplicativos, colocar o aparelho para tocar com as chamadas e deixá-lo com a tela virada para baixo. Assim, evita o costume de olhar só por olhar.

Encontre um substituto

Você provavelmente vê nas redes sociais várias coisas que gostaria de fazer ou aprender. Videos de alguém preparando alguma comida. Fotos de bordados e pinturas feitas por outras pessoas. Dicas de livros e filmes que alguém leu ou viu e indicou. Então, tire seus planos e vontades do papel. Ou melhor, do celular. Ao invés de só ver os outros fazendo comida, se aventure a vá para a cozinha. Aproveite que nesta quarentena não tem bares e restaurantes para você ir. Então, seu final de semana pode ser se divertindo na sua própria cozinha de casa. Mas, se a cozinha não for seu lugar favorito, pense em outras coisas. Veja um filme ou uma série. Leia um livro. Tente aprender a pintar ou bordar. Ou comece a cuidar das plantas na sua casa. Ah, troque os jogos do celular por jogos de tabuleiro, quebra cabeça e baralho.

Agora, se você não está com vontade de aprender algo novo nessa quarentena, tudo bem, não tem problema. Tudo bem não ter vontade de arrumar aquele quartinho bagunçado da sua casa. Ou continuar deixando para lá aquela parede que você queria pintar. Mas, evite as redes sociais nesta quarentena. Como falado anteriormente, o uso excessivo do celular pode causar ansiedade. E nesse momento esse sentimento está muito mais próximo. Tente não usar as redes sociais para “acabar com o tédio”. O custo disso pode ser alto para a sua saúde mental.

Uma boa dica para não usar o celular como ferramenta para acabar com o tédio é torná-lo menos atrativo e prático. Mas como isso? Limpe a tela inicial. Retire todos os atalhos. Retire o plano de fundo, deixe ele bem seco. Assim quando pegar para usar, você tem um tempo para pensar se vale a pena mesmo dar uma entradinha para olhar aquela rede social.

Use a tecnologia em seu favor

Parece que tem algo errado nessa dica. Mas essa técnica pode funcionar para você. Principalmente se você trabalha diretamente com o celular e redes sociais e não tem como ficar muito afastado do seu smartphone. Existem alguns aplicativos que vão te ajudar a usar menos o celular e com isso, de forma mais saudável e produtiva. Abaixo você encontra três aplicativos que podem te ajudar a reduzir o seu vício. E cada um tem uma didática.

Todos os aplicativos são gratuitos e disponíveis para downloads em celulares com sistema iOS e Android.

Flipd

O Flip foi criado pensando em quem precisa se focar mais nas suas atividade. Por isso eles tem um modo para ser usado em escolas e empresas. Inclusive é uma boa para quem está fazendo aulas online nesta quarentena. Desta lista, ele é o mais rigorosos. Esse aplicativo tem dois modos para te ajudar a vencer o vício. No modo mais leve, o aplicativo fica rodando em segundo plano e te mandando avisos periódicos enquanto você usa o celular. No modo mais duro, o aplicativo invade sua tela e faz uma contagem regressiva até bloqueia a sua tela. Das duas umas, ou você aprende a usar menos o celular, ou vai passar muita raiva com essa aplicativo pegando no seu pé.

Moment

O Moment é ideal para controlar o tempo que você gasta nas redes sociais. Sabe aquela olhadinha simples no Instagram e quando vê já se passaram 30 minutos fazendo nada? Pois bem, o Moment vai calcular todo esse tempo que você usa nas redes sociais. E gerar gráficos com essas informações. Mas, para valer a pena usar esse aplicativo, é preciso disciplina, pois só depende de você tirar os benefícios dos dados gerados pela plataforma. Esse aplicativo não é para te impedir de usar e sim, para te ajudar a usar as redes sociais sem esquecer de viver uma vida real também.

Forest

Esse é o mais divertido dos três. Para diminuir o vício no celular, o Forest vai te ajudar como um jogo. Quando você precisar manter o foco, você planta uma árvore. Enquanto seu foco está firme e você se mantém longe do celular, a árvore crescer. Caso você não resista a tentação em dar uma olhadinha nas redes sociais, a árvore morre. Dependendo das suas conquistas, é possível ter um floresta virtual.. É uma forma relaxada e divertida de tentar melhorar. Ah, além de você, o planeta também sai ganhando. Árvores reais são plantadas também. Ao todo, em parceria com uma organização, quase 800 mil árvores já plantadas. Para quem está de home office, fica a dica: tem uma extensão do Forest para o Chrome.

Curtiu o texto? Assine nossa newsletter e continue acompanhando nossas novidades.